Modelação cerâmica

Modelação Cerâmica

Abordamos este mês, uma das fases primordiais da nossa produção, a modelação. Para melhor dar a conhecer o nosso trabalho, nada melhor que deixarmos a própria secção relatar o que sente.

Jorge Filipe Pereira Horta, é Sócio, Diretor da produção e responsável pela parte de desenvolvimento e modelação.

Encontra-se na empresa há 16 anos.

É feliz a trabalhar na PP&A, pois tem oportunidade de fazer o que gosta e o que o realiza, ainda refere que para uma empresa com 70 trabalhadores, sente que tem sido conseguido um bom ambiente e proximidade. Ao longo dos anos Jorge viu grandes mudanças no setor da cerâmica.

No caso específico da PP&A as mudanças têm sido lentas, devido ao tipo de louça que fazemos, pois a mesma, tem uma grande vertente manual, peças de grandes dimensões e diferentes formas.

Sentiu a necessidade de realizar investimentos com o próprio capital ao nível dos fornos, enchimento e desenvolvimento de prototipagem rápida com a modelação 3D.

Acerca da sua função, afirma, que passa por um controle ao nível de produção, gerir a secção de modelação nos desenvolvimentos, madres e moldes de produção.

Nos próximos anos, Jorge espera que a PP&A continue a aumentar a sua produção e os seus investimentos, para melhor preparar a empresa para o futuro, e sermos cada vez mais competitivos e continuando na vanguarda das melhores empresas de cerâmica decorativa.

Ainda abordado porque escolheu a cerâmica e a área da modelação, Jorge afirma que foi a cerâmica que o escolheu a ele, na escola demonstrava muita aptidão para trabalhos manuais, principalmente a trabalhar o barro.

O seu primeiro emprego aos 16 anos, foi numa fábrica de cerâmica e precisamente a área da modelação. A arte de passar do papel para a forma, despertou sempre o interesse e a vontade de aprender mais, levando-me a fazer várias formações.

Neste artigo ainda colocámos perguntas a dois dos nossos colaboradores da modelação;

César, modelador há 30 anos, encontra-se na PP&A na última década, sente-se feliz a realizar o seu trabalho, sendo que o ambiente é normal sem existir pressão, o que permite que execute o seu trabalho que envolve uma componente bastante técnico e criativo.

Revela que viu algumas mudanças neste sector, e que sem dúvida o recurso a impressão 3Dfoi um deles, tal como as condições de trabalho com enfase nas ferramentas, como a abertura por parte da direção para que possa dar as suas sugestões que são consideradas positivamente, e que aumenta a motivação para realização do seu trabalho.

A função que executa é a realização dos modelos e os respetivos moldes através dos desenhos dos clientes e/ou idealizados pela nossa equipa de design que coopera de uma forma bastante próxima com o sector da modelação.

César afirma que começa a preparar e a visualizar a forma mais correta de produzir o modelo e depois avança para o 1º molde, que serve para tirar amostras, após esta fase crucial dá-se início ao processo de produção em maior escala.

As expectativas de César são continuar com a motivação, dignificando o seu trabalho e com a sensibilidade para executar o seu trabalho.

Afirma que não escolheu a área de cerâmica, mas atualmente reconhece as vantagens de trabalhar neste sector, mesmo que afirme que é muito exigente fisicamente e mentalmente, mas sente-se muito útil no seu trabalho de modelação.

Sandra Marques, modeladora, 19 anos em função na PP&A.

Gosta muito do que faz, mas sente, que um ambiente mais calmo e silencioso contribuiria de forma positiva para a realização do seu trabalho.

Sente que a impressora 3D e alteração das categorias foram as mudanças mais notadas.

A função de Sandra é a realização do produto no seu desenvolvimento, passando da ideia e de um projeto para a realidade, ou seja, é o primeiro contacto com o objeto e a sua forma. Observa a sua importância no processo produtivo aquando da execução das formas para enchimento.

Sandra diz não ter expectativas diferentes das que vive no seu dia a dia, mas revela que gostaria de ter a oportunidade de experimentar o sector da decoração.

Afirma que a área da cerâmica não foi uma escolha, aconteceu quando procurava o seu primeiro emprego.

A modelação resultou pelo facto de ter um curso de artes plásticas, mais precisamente escultura, onde na altura lhe foi proposto experimentar a executar esta função, onde acabou por adquirir conhecimentos através da troca de experiências dos colegas que têm passado ao logo dos anos e desta forma foi evoluindo até hoje.